FACEBOOK

Página Oficial no Facebook
https://www.facebook.com/Prof.Joao.Oliveira

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

João Oliveira na Revista Psique 72 - DEZ-2011


quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Matéria Publicada no Jornal O TEMPO - BH em 20/09/2011



Ana Elizabeth Diniz - Especial para O TEMPO
Entrevista com João Oliveira - Psicólogo comportamental

"Quem vê cara não vê coração" é um ditado muito usado para dizer que as pessoas podem camuflar suas reais intenções. Às vezes, isso significa que, por trás de um rosto angelical, pode haver uma intenção cruel. Mas, na maioria dos casos, o ditado não deve ser levado ao pé da letra. As expressões faciais e corporais, quando bem-interpretadas, podem nos ajudar a evitar as ciladas.

Quem fala com propriedade sobre o assunto é o psicólogo comportamental João Oliveira, que tem mestrado em cognição e linguagem e acaba de lançar o livro "Saiba Quem Está à Sua Frente", (WakEditora, 152 págs, R$ 30).

Ele conta que sua pesquisa nasceu da demanda dos alunos do curso de neurolinguística dos Institutos Superiores de Ensino (Isecensa), que sempre tinham novas perguntas sobre o assunto.

Tanta pesquisa e observação se traduziram em um manual de como viver bem entre humanos. O livro é de fácil leitura por sua forma didática e absolutamente simples na linguagem. A obra indica, passo a passo, através de ilustrações, como observar o surgimento de emoções nas faces e de que forma podemos fazer uma prévia e rápida avaliação de alguém, somente pelas rugas de expressão.

As dicas do livro permitem uma melhor observação do cotidiano e de conversas triviais e podem auxiliar qualquer pessoa que se atenha a explorar nuances do comportamento humano. Com muitas ilustrações e reunindo em um único exemplar técnicas criadas em ambientes diferentes, a publicação oferece parâmetros para nos relacionarmos melhor em família e profissionalmente.

O autor ressalta que todos nós temos uma expressão, mas cada vez menos pessoas a reconhecem. "Em todos os semestres, nossos alunos do sexto período de psicologia saem em campo mostrando desenhos e fotos de pessoas expressando várias emoções. Eles pedem para que as pessoas identifiquem ou contem uma história para explicar por que a pessoa demonstra esse ou aquele tipo de expressão na face. Em todos os ambientes, seja classe baixa ou alta, percebemos uma razoável diminuição da percepção da tristeza".

O psicólogo pontua que, na verdade, todas as emoções negativas estão perdendo espaço gradativamente. "Existe uma tendência de negar o nojo, o medo e a tristeza em nossa sociedade. Mascaramos ou apagamos a possibilidade de reconhecimento para evitarmos o sofrimento. E é claro que isso não funciona".


Minientrevista
Autor de "Saiba Quem Está à sua Frente", o psicólogo comportamental João Oliveira afirma que as emoções estão sempre estampadas no rosto. Basta saber vê-las.
Em que se baseia a análise comportamental pela observação das expressões faciais e corporais?
Desde que Charles Darwin, em 1872, publicou seu livro "A Expressão das Emoções no Homem e nos Animais", surgiram uma série de estudos sobre o vasto universo das emoções humanas e como elas se manifestam no corpo. Ele revela uma incrível coincidência entre diferentes culturas na forma de expressar as emoções básicas através do rosto. Darwin percebeu essa possível condição inata de comunicação facial. Vários são os povos antigos que tinham (e têm) incorporado, no seu dia a dia, práticas de análise comportamental. Os chineses davam preço nas mercadorias fitando as pupilas dos compradores; se elas dilatassem, o preço era maior! E as ciganas? Elas estão mesmo lendo as mãos? Por que então só olham no rosto? Ou seja, já temos essa condição de leitura inata, é só aprender a teoria e afinar o instrumento: o olhar. 


Ao longo da vida, as pessoas vão mudando; suas feições também mudam?
Sim, e isso é muito bom, pois é através dessa mudança que podemos saber quem está à nossa frente. Essas marcas refletem as emoções vividas. Um músculo, quando muito usado, muda sua forma, fica desenhado o seu formato. Na face isso é mais visível. As emoções usam músculos para expor ao ambiente o que se passa no interior. Repetições dos mesmos estados psicológicos acabam por formar as rugas de expressão.


O rosto pode nos dizer o quê?
Podemos, por exemplo, saber que tipo de emoção está começando a se manifestar antes mesmo que a pessoa se dê conta disso. Aliás, somos péssimos em reconhecer nossas próprias emoções. O rosto fala antes, só revela a verdade, e o faz muito mais rápido do que podemos assimilar de modo consciente. O importante não é descobrir o que o outro está sentindo ou pensando, mas como agir diante dessa informação.


Como podemos nos beneficiar com esse conhecimento?
Aprendendo a lidar com os outros e conosco mesmo, auxiliando o outro numa comunicação melhor. Como? Propondo direcionamentos diferentes ao percebermos a expressão de uma emoção negativa que se difere da emoção instalada. As emoções rápidas podem ser diluídas, trabalhadas e modificadas antes que venham a compor o sujeito de forma consciente. Isso permite à mãe focar seu argumento com o filho desobediente sem conflito, ou a um policial colocar fim a uma situação antes que aconteça uma agressão, pois ele vê a expressão se formar no semblante do seu opositor e, na iminência de um confronto, ele pode optar por se afastar ou imobilizar rapidamente o sujeito à sua frente. O professor irá na carteira certa e dará um abraço naquele aluno que precisa naquele exato dia disso e – acredito mesmo nisso – estará impedindo a formação, possível, de um futuro agressor de massas.


Como seria a vida se pudéssemos ler a ação das pessoas apenas em sua expressão facial?
Imagine uma cidade onde todos andassem armados. Poucos cometeriam assaltos, pois saberiam que alguém poderia atirar nele. Agora, vejamos, uma cidade onde todos são capazes de "ver" a falsidade nos outros. Se todos tivessem a consciência de que é impossível falsear seus sentimentos porque o outro perceberia suas reais intenções, o que aconteceria? Como seria o comportamento social da maioria das pessoas em um ambiente como esse? Deixo a resposta para o leitor.(AED)

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Matéria veiculada no Portal URURAU no dia 01/09/2011 - Saiba Quem Está à Sua Frente

Publicada em 01 de setembro de 2011 · 15:13

João Oliveira lança livro na XV Bienal do Rio de Janeiro, nesta quinta-feira



´Saiba Quem Está à Sua Frente` desvenda emoções através das marcas de expressão
Será lançado nesta quinta-feira (01/09), na XV Bienal do livro do Rio de Janeiro o lançamento do livro “Saiba Quem Está à Sua Frente” do Psicólogo Clínico, Mestre em Cognição e Linguagem pela UENF-RJ e de Professor Universitário de Psicologia João Oliveira.

O livro faz uma análise do comportamento humano através das expressões faciais e corporais, tratando-se de um manual de como viver bem entre humanos, escrito a partir de uma pesquisa de oito anos e configurando-se no primeiro livro que mostra a técnica em língua portuguesa, já que o mais próximo é escrito em chinês, sem tradução nem mesmo em inglês.


O livro, útil para qualquer âmbito profissional, ensina a se comunicar melhor a partir de uma análise do interlocutor, evidenciando o momento certo de mudar o argumento em uma abordagem.

De acordo com o professor João Oliveira, o livro é fácil de ler, por sua forma didática e linguagem simples, indicando, passo a passo, como observar o surgimento de emoções no rosto, onde a partir do segundo capítulo,  o leitor aprende a identificar os 13 músculos principais da face, que expressam emoção.

Segundo o professor João Oliveira, o livro será a estrutura de sua tese de doutorado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde as marcas serão alinhadas à testes psicológicas, na busca de uma conclusão.
“Uma coisa que tem de legal no livro é saber identificar as emoções, apenas olhando para o rosto da pessoa. A intenção, não é desmascarar as pessoas, mas dar base de argumento às pessoas. Se eu sei que ela eu sei que ela tem um dom de uma determinada coisa eu posso modificar minha linha de abordagem, independentemente se eu sou um psicólogo, um vendedor de carros ou um policial.”

Toda a pesquisa que deu origem ao livro foi desenvolvida a partir da ousadia do Coordenador do curso de Psicologia do Instituto Superior de Ensino do Censa (Isecensa), Paulo Arthur, que irá proporcionara uma geração de psicólogos capacitados para interagir melhor com seus pacientes, sabendo além da fala do paciente.

O livro estará disponível nas melhores livrarias e através do site da editora WAK.

Saiba mais no site do Professor João Oliveira.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Saiba Quem Está à Sua Frente - O LIVRO

Será que o inimigo mora ao lado? ou será o amigo?

Aprenda a se comunicar melhor analisando seu interlocutor. Saiba o momento certo de mudar o argumento em uma abordagem. 
Utilize técnicas de reconhecimento das expressões emocionais, das marcas de expressão e da linguagem corporal.

Tenha uma "máquina da verdade" em sua casa... 

NAS MELHORES LIVRARIAS
LANÇAMENTO DA WAK EDITORA
SAIBA QUEM ESTA À SUA FRENTE
análise comportamental pelas expressões faciais e corporais

Título: SAIBA QUEM ESTÁ À SUA FRENTE
análise comportamental pelas expressões faciais e corporais

AUTOR: JOÃO OLIVEIRA

Formato: 14x21cm - 152 páginas – 220g

ISBN/COD. BARRAS: 978-85-7854-163-7
Preço: R$ 30,00

O Livro “SAIBA QUEM ESTÁ À SUA FRENTE, análise comportamental pelas expressões faciais e corporais” é um manual de como viver bem entre humanos. É fácil de ler, por sua forma didática e absolutamente simples na linguagem, indicando, passo a passo, como observar o surgimento de emoções nas faces e de que forma podemos fazer uma prévia e rápida avaliação de alguém, somente pelas rugas de expressão.

Os resultados podem ser colhidos no dia a dia, em conversas triviais, ou em atividades profissionais, como psicólogos, médicos, professores, vendedores, agentes de segurança, operadores da lei e qualquer pessoa, que tenha a interação humana direta como meio de vida.

Com muitas ilustrações e reunindo pela primeira vez em um único exemplar técnicas criadas em ambientes diferentes, este livro é útil para todas as áreas da vida prática, desde as relações familiares e íntimas até as profissionais.

Veja agora a primeira entrevista do João Oliveira sobre o Livro no Programa "DE OLHO NA CIDADE" da Tv Litoral:




terça-feira, 16 de agosto de 2011

Palestras Pelo Dia do Psicólogo - Auditório Virtual -

Palestras pela passagem do
Dia do Psicólogo
27 de Agosto de 2011


Para marcar a passagem do Dia do Psicólogo o ISEC resolveu abrir um dos seus auditórios virtuais para um Congresso informal, aberto, para os profissionais que desejarem apresentar seus trabalhos e idéias.

Para ter seu trabalho aprovado basta preencher os seguintes requisitos:

1) Ter uma internet estável em sua residência com câmera e microfone instalados no computador e o adobe flahs player atualizado.

2) Encaminhar para o e-mail : isec@isec.psc.br um resumo do trabalho que deseja apresentar e um mini currículo do autor. A aprovação será simples e sem muitas normas apenas uma seleção dos assuntos para não haver muitas palestras parecidas.

3) Caso aprovado o autor deverá providenciar uma apresentação em power point para ser colocada no auditório virtual pela equipe organizadora.

4) Os palestrantes receberão certificados de participação conferidos pelo ISEC.

Para assistir:

1) Os interessados em assistir deverão enviar um e-mail para isec_news-subscribe@yahoogrupos.com.br e, se filiar ao mail list do ISEC. Desta forma receberão todas as informações de acesso.

2) O acesso as palestras é totalmente gratuíto. Somente o participante que desejar o certificado de participação deverá pagar uma taxa de R$ 70,00 (setenta reais).
E-mail para enviar trabalho, resumo e mini currículo: isec@isec.psc.br

E-mail para se filiar ao grupo do Yahoo do ISEC e receber links e senhas para assistir (de graça) as palestras pelo dia do Psicólogo:



sábado, 6 de agosto de 2011

Emagrecimento Pela Palavra

Palestra On Line, hoje, sábado dia 6 de agosto de 2011, às 16h00.
Para participar basta entrar no link:

Digite seu nome e participe! É de graça !

terça-feira, 19 de julho de 2011

Dois Quilos de Tristeza


No atendimento diário com a psicoterapia do Emagrecimento pela Palavra, técnica desenvolvida após dois anos de pesquisa de Mestrado em Cognição e Linguagem (UENF-RJ) sob a orientação da Pós Dra. Arlete Sendra, começamos a notar algo extraordinário que temos o dever de reportar a quem se interessa pela maravilha da psique humana: os dois quilos de tristeza.

 Todas às vezes que um paciente reporta uma alegria ou ressignificação de uma condição de fratura cognitiva ele perde, de imediato, dois quilos. De forma surpreendente em 48 horas, dois quilos (média) desaparecem sem deixar vestígios e sem nenhuma mudança significativa de alimentação ou atividade física. O que pode ter ocorrido?

Sabemos que a tristeza é o movimento emocional que mais consome energia. Ficar triste demanda um alto consumo calórico. Por isso, toda vez que estamos na normalidade e um golpe emocional nos surpreende, emagrecemos a olhos vistos.

Nesse raciocínio, também sabemos que as pessoas em constante angústia acabam por acumular tecido adiposo como uma forma de defesa a futuras intempéries.  Esse estudo já foi feito, inclusive, na periferia de Brasília em um universo de 10.000 mulheres de baixa renda. A busca era outra, câncer de mama, mas a observação curiosa ficou por conta da obesidade em quase 70% desta população. A pergunta é: como pode quem tem pouco para comer engordar? A resposta é simples: o organismo guarda o que puder, baixando o metabolismo, à espera de dias piores.

Junte tudo isso e podemos inferir o raciocínio que o corpo de quem está numa estrutura insegura guarda algo para queimar caso fique triste por algum desapontamento: Dois kilos!
Quando começamos a psicoterapia breve de quem se considera obeso, a resposta imediata na primeira semana é a perda de dois quilos, caso ele(a) reaja bem as primeiras palavras colocadas. Logo após, ocorre uma estabilização e a perda começa a ser gradual, numa curva menos inclinada. Se tudo correr bem, e a expectativa de resolução se consolidar, o sujeito passa a perder peso até chegar onde o seu organismo considera adequado para aquele momento de sua vida.
Neste período, se algo ocorrer que quebre essa linha, ele volta a ganhar (em média) dois quilos quase imediatamente, no máximo em 48 horas.  Esse efeito, acredito, é o reservatório natural para consolidar a tristeza, sem afetar as reservas calóricas cotidianas.
Óbvio que isso é um pensamento que compartilho e ainda necessitamos estudar e verificar muito até supor que seja uma verdade absoluta. Enquanto isso não ocorre, compre uma balança e afira seu peso todos os dias, no acréscimo ou diminuição analise os sentimentos mais experimentados no dia anterior. Pode ser que a sua experiência ajude a comprovar, ou não, essas linhas que escrevo.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Análise Comportamental

O grande trunfo do homem é acreditar que seu pensamento é inviolável. Que ninguém é capaz de saber o que está pensando ou, como está avaliando quem está a sua frente. Infelizmente (ou não) isso não é mais totalmente verdade.
Nossas microexpressões faciais são inconscientes, rápidas (muito rápidas) e totalmente incontroláveis. Com uma cuidadosa observação podemos fazer uma breve e certeira, avaliação de como estamos indo na nossa abordagem. Caso seja identificada uma emoção negativa ou, uma postura contrária ao nosso diálogo, poderemos direcionar o tema de modo a resgatar o interesse.
Para isso serve a análise comportamental, aproximar pessoas, facilitar a comunicação dando, aos participantes, condições de alterar o rumo da prosa antes que a conversa desande.
Uma ferramenta poderosa! Mas não está só.
Podemos unir esse conhecimento a outro: marcas de expressão. As emoções, quando expressas, acabam deixando suas marcas ao longo dos anos. Analisando essas rugas, na face de uma pessoa, podemos ter uma idéia de quais foram as emoções predominantes durante um certo período. Na verdade, quanto a isso, não podemos dizer com precisão como ele “é”, e sim como ele “foi”. Afinal qualquer pessoa pode fazer uma alteração no seu modo de ser a partir de uma auto-avaliação ou psicoterapia.
Unindo ainda a Leitura Fria (Linguagem Corporal) teremos um profissional de extrema capacidade no lidar com o humano: médicos, vendedores, advogados, promotores, policiais, psicólogos, professores ... Quase todo mundo! Imagine então, uma categoria que reza pela possibilidade de analisar o responsável pelo seu destino: eleitores!
O ISEC – Instituto de Psicologia Ser e Crescer – disponibiliza este treinamento em vários formatos no Rio de Janeiro, em Copacabana, e em Campos dos Goytacazes. Alguns treinamentos já estão sendo efetuados em empresas e organismos de segurança. O curso on line está em formulação e deve ser lançado no segundo semestre.
Invista em você! A transformação de uma sociedade se dá quando todos estão em igualdade de condições para avaliar e decidir. Caso isso não seja real, uns mandam outros, nem sequer percebem o real a sua frente e não optar e decidir pelo melhor para si.

sábado, 21 de maio de 2011

Assista, neste domingo, sem custo, o I Congresso Virtual de Psicologia, Saúde e Educação

Ao logar no auditório sempre coloque nome e sobrenome,
caso queira Certificação Digital em seu nome faça contato pelo e mail: oliveirapsi@gmail.com
ou entre no link:

e faça sua inscrição.

Auditório 01

Auditório 02


09h00

Auditório 01 – http://isec.psc.br/salas/01.html
“A Importância da alquimia e dos rituais para o processo de individuação na psicologia analítica de Jung” – Uma analogia entre os processos alquímicos e o ritual cristão da Santa Ceia para mostrar que a consciência do eixo psicológico Ego/Self leva ao processo de individuação.
Palestrante: Sandra Regina Santos – Psicóloga CRP 05/29583 - Pós-graduada em Geriatria e Gerontologia – UERJ – RJ; Pós-Graduada em Terapia Familiar - UCAM – RJ; Pós Graduada em Psicologia Junguiana pelo IBMR - RJ

Auditório 02 - http://isec.psc.br/salas/02.html
“Arte e neurociência – A arteterapia cuidando do ser” - Pesquisa baseada no trabalho denominado Criatividade e Cérebro, criado em 1992, na modalidade de curso e de atendimentos individuais para as mais diversas faixas etárias, demandas e áreas profissionais, com o objetivo de mostrar o efeito da Arte para o equilíbrio do ser, com base nas pesquisas em Neurociência.
Palestrante: Celeste Carneiro - Arteterapeuta, Terapeuta Junguiana e Transpessoal, Artista Plástica, Educadora e autora de vários livros sobre o tema.

Auditório 03 – http://isec.psc.br/salas/03.html
“A utilização da hipnose no auxílio do desenvolvimento da auto-eficácia” – A apresentação foca em diversos estudos comprovaram que as crianças que se percebem com bom senso de autoeficácia obtêm melhores desempenhos escolares e são vistas pelos pais com menos problemas.
Palestrante: Gil Gomes – Psicólogo – CRP 05/32158 Diretor do Instituto Brasileiro de Hipnose; Pós graduado em Terapia Cognitivocomportamental; Pós graduado em Hipnose clínica e hospitalar; Mestrando em Psicologia da educação.

09h40

Auditório 01 – http://isec.psc.br/salas/01.html
"Um cenário ideal e um cenário possível no marco de uma prospectiva pedagógica da EAD" - Um cenário ideal e o cenário possível, essa palestra versa sobre esse tema. Se existisse a plataforma perfeita, teríamos uma interação on line imediata com os alunos, os quais cumpririam todos os prazos agendados e participariam dos fóruns de discussão de maneira ativa e pró-ativa. Um cenário no qual o tutor trabalharia com apenas 30 alunos por turma ( aqui no Brasil há turmas de 300 alunos por tutor ), possibilitando uma relação mais subjetiva e amorosa entre este profissional e seus alunos.
Palestrante: Profa. Me. Júlia Eugênia Gonçalves - Mestre em educação pela UFF/RJ, área de concentração : psicopedagogia; psicopedagoga clínica por E.Psi.BA, Argentina. Especialista em tutoria virtual pela OEA; especialista em Ambientes Virtuais de Aprendizagem pela OEI. Membro do Conselho Nacional da ABPp- Associação Brasileira de Psicopedagogia durante 12 anos consecutivosd,até 2010; presidente da Fundação Aprender, Varginha/ MG; coordenadora pedagógica do Projeto EducEAD.

Auditório 02 - http://isec.psc.br/salas/02.html
“Avaliação de desempenho – um programa sem medos” – Apresentação de um programa que busca a aplicação da Avaliação de Desempenho seja nas organizações empresariais, seja nas Instituições de Ensino Formal, eliminando-se os medos culturais e psicológicos, que prejudicam esse processo.
Palestrante: Ana Maria Leandro – Escritora – Reg 3725/UBE; Coordenadora do Núcleo UBE/BH; Consultora de RH e Jornalista.

Auditório 03 – http://isec.psc.br/salas/03.html
"A normose informacional e seus reflexos na vida dos internautas" - A palestra tem como proposta discutir estes novos desafios que teremos de enfrentar no inicio deste século em função do oceano de possibilidades e de informações que estão sendo disponibilizados por estes ambientes virtuais.
Palestrante: Dr. Carlos Henrique Medeiros de Souza - Doutor em Ciencias Sociais (Comunicação e Processos ) pela UFRJ - Professor Associado da Universidade Estadual do Norte Fluminense - UENF. Coordenador do Mestrado Interdisciplinar - PGCL / UENF

10h20

Auditório 01 –http://isec.psc.br/salas/01.html
“O comportamento do consumidor verde: uma análise do consumo de produtos orgânicos” - Temas como selo verde, produtos orgânicos, reciclagem têm ganhado notoriedade em discussões amplamente divulgadas pela mídia referentes as preocupações com produtos transgênicos e a utilização de fertilizantes químicos para melhoria das colheitas.
Palestrante: Prof. Me. Rodrigo Anido Lira - Administrador pela Universidade Federal Fluminense, Mestre em Cognição e Linguagem e Doutorando em Sociologia Política pela Universidade Estadual do Norte Fluminense – Darcy Ribeiro.

Auditório 02 – http://isec.psc.br/salas/02.html
"O uso da modalidade de educação á distância no ensino de Psicologia: limites e possibilidades" - Este trabalho objetiva analisar criticamente o uso da modalidade á distância no ensino de Psicologia. Apresentando os aspectos legais, suas possibilitades e seus limites acadêmicos.
Palestrante - Prof. Dr. Luís Antonio Monteiro Campos - Doutor em Psicologia UFRJ e Coordenador do Curso de Psicologia da Universidade Estácio de Sá.

Auditório 03 – http://isec.psc.br/salas/03.html
“Hipnose uma ferramenta na psicologia das emergências com as vitimas da catástrofe do Rio de Janeiro” – Apresentação do trabalho e as técnicas de hipnose de visualização criativa, projeção para o futuro, metáforas, sugestões e autoscopia que foram utilizadas nas vitimas da catástrofe da região serrana de Teresópolis de Barra do Imbui.
Palestrante: Clystine Abram O. Gomes - Psicóloga CRP 05/15048 - Presidente do Instituto Brasileiro de Hipnose Aplicada, coordenadora da pós-graduação em hipnose clinica, hospitalar e organizacional da SPEI.

11h00

Auditório 01 – http://isec.psc.br/salas/01.html
"Aspectos legais da comunicação em língua brasileira de sinais como instrumento de atendimento clínico e educacional" - O tema trata da valorização da utilização da Libras – Língua Brasileira de Sinais como instrumento de comunicação no atendimento clínico e educacional e a identificação do amparo legal que garantem o atendimento clínico e educacional em Libras para usuários surdos, através de pesquisa na perspectiva jurídica.
Palestrante: Edmarcius Carvalho Novaes - Gerente da Coordenadoria de Apoio e Assistência à Pessoa com Deficiência - CAAD, de Governador Valadares/MG, sendo conselheiro governamental nos seguintes Conselhos: Conselho Municipal de Assistência Social - CMAS, Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência - CMPD e Conselho Municipal de Transito e Transporte - CMTT, todos da cidade de Governador Valadares e leciona Língua Brasileira de Sinais - Libras.

Auditório 02 - http://isec.psc.br/salas/02.html
"TDA/H - possibilidades diagnósticas e de intervenção" - A palestra pretende situar o Transtorno do Déficit de Atenção, seu diagnóstico e as possibilidades psico-educativas existentes para o manejo clínico, institucional e escolar. Abordará, ainda, algumas definições, seus subtipos, sintomas e manifestações do quadro, bem como a característica multimodal de seu modelo de avaliação.
Palestrante: Profª Me. Marilene Lima - Psicóloga Clínica (UMESP), Mestre em Educação: História, Política, Sociedade (PUC-SP), Diretora da Policlínica Edukaleidos: Educação e Psicologia para o bem-estar (São Paulo), autora e tutora dos cursos: Problemas de Aprendizagem: Distúrbios Psiconeurológicos (9ª turma) e Transtorno do Déficit de Atenção: Diagnosticando e Intervindo (7ª turma) do Projeto EducEAD implementado pela Fundação Aprender (Varginha/ MG).

Auditório 03 - http://isec.psc.br/salas/03.html
"Processos Criativos Contextualizados na Arte-Educação" Pensar em educar é buscar formas para criar sentidos e fazer descobertas ao longo do caminho e da construção do saber. Apresentaremos uma pesquisa em que evidenciamos vivências pessoais dos participantes, que estão simultaneamente imersos em uma coletividade social-histórica e um determinado contexto, trouxemos à luz a voz do sujeito de modo a torná-lo um narrador de si mesmo, ouvite do outro e reflexivo sobre sua forma de criar e produzir arte. Como resultado foi percebido que a pesquisa estimulou reflexão e as trocas intersubjetivas que possibilitaram (re)significar ideias sobre si e sobre a criatividade, em que processos e experiências ganharam um novo lugar.
Palestrante : Profa. Anita Rink - Mestranda em Psicologia pela Universidade Salgado de Oliveira, Psicóloga pela Universidade Salgado de Oliveira, Arteterapeuta pela Clínica POMAR, Arte-Educadora pela CECAP/CEN e Artista Plástica formada pelo Liceu de Artes e Ofícios (RJ) com pós graduação pela Scuola Machiavelli (Florença/Itália). Atuou na Secretaria Municipal de Educação de Niterói. Psicóloga clínica e também desenvolve atividade com Arteterapia individual e em comunidades (Rio de Janeiro/Gradim e Piauí/Barra Grande). Participa do Grupo de Pesquisa "Linguagem e Modos de Subjetivação" – Desenvolvimento Sócio-cognitivo, Relações Interpessoais e Educação no Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade Salgado de Oliveira.

11h40

Auditório 01 – http://isec.psc.br/salas/01.html
"A literatura infantil no universo da psicosfera: interface possível e positiva" - A palestra tem como eixo vertebrador a literatura infanto juvenil ancorando o pensar sobre o universo psicológico de crianças e jovens ou até mesmo de adultos, contribuindo para a formação ou re-formação do sujeito. Temáticas que versam sobre preconceito, autoestima, aceitação de si mesmo e do outro, diferença, medo, perda, luto e culpa, serão apresentadas como uma alternativa para os ambientes: familiar, escolar e clínico.
Palestrante: Profª Me. Sandra Branco - mestre em educação, arte e história da cultura, professora universitária, psicanalista e escritora de livros de literatura infanto juvenil e de formação de professores.

Auditório 02 – http://isec.psc.br/salas/02.html
"Educação para a Economia Familiar" - Entendendo o que é economia em uma contextualização básica da economia doméstica. O papel da mulher na economia e o reflexo da educação financeira familiar frente à economia mundial, incluindo a educação econômica sustentável. A palestra também aborda temas como a mesada custo ou participação dos filhos na economia familiar? Como controlar seus gastos – (Planilha Prática) e dicas de economia familiar.
Palestrantre: -Profa. Andréia Nogueira A. de Andrade - Bacharel em Administração de Empresas Mentora do Projeto NAF – Núcleo Administrativo e Financeiro/FIEMG.

Auditório 03 - http://isec.psc.br/salas/03.html
Participação do CRP-05 Conselho Regional de Psicologia Rio de Janeiro.
Palestrante: Profa. Msc. Vivian de Almeida Fraga - Psicóloga graduada pelo Instituto Brasileiro de Medicina de Reabilitação (IBMR), mestre em Psicologia Social (2009) e com especialização em Psicologia Jurídica pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) (2007). Atualmente, coordenada projetos sociais das obras de intervenção do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do município de Nova Iguaçu.

http://isec.psc.br/salas/01.html

http://isec.psc.br/salas/02.html

http://isec.psc.br/salas/03.html

sábado, 14 de maio de 2011

Primeiro post ...

Estamos, já há alguns anos, trabalhando com análise comportamental. Pesquisas feitas com os nossos alunos de graduação em Psicologia no Isecensa em Campos-RJ têm demonstrado uma perda, constante, de referências emocionais básicas: grande parte da população não consegue "ver" as emoções nos outros.

Agressões surgem em abordagenms simples onde, o sujeito da ordem, operador da lei, confunde a atitude do sujeito a ser contido. Ele não sabe diferenciar medo de raiva, por isso ataca primeiro.

Uma nova abordagem de Análise Comportamental se faz necessária em nosso ambiente de vida. Entre os psicólogos, professores, policiais, médicos, entre nós, humanos.

Esse blog é o ínício desta proposta, seja bem vindo, torne-se visitante e saberá as novidades.